Pesquisar este blog

MPB - Google Notícias

Quem Somos?


 A Rádio Campinarte na verdade é um blog com o objetivo de divulgar, promover e na medida do possível gerar renda para os artistas (músicos) em particular do Terceiro Distrito de Duque de Caxias no Rio de Janeiro.
Um blog com cara de rádio, notícias do mundo do rádio, cantores do rádio.Um blog que tem como uma de suas principais bandeiras os novos talentos sem esquecer dos grandes nomes da música popular brasileira de todos os tempos; sem esquecer os pioneiros, os baluartes, os verdadeiros ícones da era de ouro do rádio. Fazemos isso para que esses novos talentos não percam de vista nossas referências musicais que até hoje são veneradas mundo a fora - uma forma que encontramos de dizer um MUITO OBRIGADO àqueles que nos proporcionaram (e continuam proporcionando) com suas vozes, suas músicas, momentos de paz e alegria. Uma maneira de agradecer a todos que ajudaram a compor as trilhas sonoras de milhões e milhões de pessoas.
Este blog irá gradativamente estreitar os seus laços com as Rádios Comunitárias que desenvolvem um papel importantíssimo em nossos bairros.
A Rádio Campinarte tem (fundamentalmente) um compromisso com a qualidade e o bom gosto / e qualidade e bom gosto nos vamos pinçar nos nossos bairros, o que nós queremos mesmo é fazer jus ao nome: RÁDIO CAMPINARTE - O SOM DAS COMUNIDADES.

Nenhum texto alternativo automático disponível.
CLIQUE NAS IMAGENS E OUÇA OS NOSSOS ESPECIAIS

  
   

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Carnaval dos Bons Velhos Tempos / Ano 1920

Dez mil anos antes de Cristo, homens, mulheres e crianças se reuniam no verão com os rostos mascarados e os corpos pintados para espantar os demônios da má colheita. As origens do carnaval têm sido buscadas nas mais antigas celebrações da humanidade, tais como as Festas Egípcias que homenageavam a deusa Isis e ao Touro Apis.
Os gregos festejavam com grandiosidade nas Festas Lupercais e Saturnais a celebração da volta da primavera, que simbolizava o Renascer da Natureza. Mas num ponto todos concordavam, as grandes festas como o carnaval estão associadas a fenômenos astronômicos e a ciclos naturais.
O carnaval se caracteriza por festas, divertimentos públicos, bailes de máscaras e manifestações folclóricas.
Na Europa, os mais famosos carnavais foram ou são: os de Paris, Veneza, Munique e Roma, seguidos de Nápoles, Florença e Nice.
O carnaval no Brasil foi chamado de Entrudo por influência dos portugueses da Ilha da Madeira, Açores e Cabo Verde, que trouxeram a brincadeira de loucas correrias, mela-mela de farinha, água com limão, no ano de 1723, surgindo depois as batalhas de confetes e serpentinas.
O Carnaval de 1920 foi animado por músicas como a que ouviremos nesse spot:
1 - Cangerê (samba/carnaval, 1920) - Francisco Antônio da Rocha (Chico da Bahiana) – 2 Intérpretes: Bahiano e Izaltina
2 - Fala meu Louro (samba, 1919) - Sinhô - Intérprete: Mário Reis
3 - O pé de anjo (samba, 1920) - Sinhô - Intérprete: Blecaute
4 - Pois não (marcha/carnaval, 1920) - Eduardo Souto e Filomeno Ribeiro - Intérprete: Grupo do Moringa
5 - Quem vem atrás fecha a porta (Me leve, me leve, seu Rafael) (samba/carnaval, 1920) - Caninha - Intérprete: Bahiano

Carnaval dos Bons Velhos Tempos / Ano 1921

No Brasil o carnaval é festejado tradicionalmente no sábado, domingo, segunda e terça-feira anteriores aos quarentas dias que vão da quarta-feira de cinzas ao domingo de Páscoa.
O Carnaval de 1921 foi animado por músicas como a que ouviremos nesse spot:
1 - Ai amor (marcha/carnaval, 1921) - Freire Júnior - Intérprete: Bahiano
2 - Esta nega qué me dá (samba-maxixe, 1921) - Caninha e Lezute - Intérprete: Almirante
3 - Sá Miquelina (samba/carnaval, 1921) - Antônio Rodrigues de Jesus e Junquilho Lourival - Intérpretes: Grupo do Louro

Carnaval dos Bons Velhos Tempos / Ano 1922

Na Bahia o carnaval é comemorado também na quinta-feira da terceira semana da Quaresma, mudando de nome para Micareta. Esta festa deu origem a várias outras em estados do Nordeste, todas com características baiana, com a presença indispensável dos Trios Elétricos e são realizadas no decorrer do ano; em Fortaleza realiza-se o Fortal; em Natal, o Carnatal; em João Pessoa, a Micaroa; em Campina Grande, a Micarande; em Maceió, o carnaval Fest; em Caruaru, o Micarú; em Recife, o Recifolia, etc.
O Carnaval de 1922 foi animado por músicas como a que ouviremos nesse spot:
1 - Ai, Seu Mé (marcha, 1922) - Freire Júnior e Careca - Intérprete: Francisco Alves
2 - Eu só quero é beliscá (marcha/carnaval, 1922) - Eduardo Souto - Intérprete: Bahiano
3 - Fala baixo (marcha/carnaval, 1922) – Sinhô - Intérprete: Banda da Fábrica Popular
4 - Sai da raia (marcha/carnaval, 1922) – Sinhô - Intérprete: Bahiano

Carnaval dos Bons Velhos Tempos / Ano 1923

O carnaval carioca de hoje pode sofrer confrontos com os de ontem, sem desvantagem, pois contra pontos negativos apresentaria outros tantos positivos. Se já não há as grandes sociedades temos hoje os desfiles suntuosos das escolas de samba e a volta dos carnavais de rua com blocos sempre em números crescentes a cada ano.
O Carnaval de 1923 foi animado por músicas como a que ouviremos nesse spot:
Goiabada (marcha/carnaval, 1923) - Eduardo Souto - Intérprete: Bahiano

Carnaval dos Bons Velhos Tempos / Ano 1924

O certo é que o prestigio e a fama do carnaval não se abatem. Há um lapso na vida carioca. Um adiamento geral. Negócios, trabalhos, amores, planos, estudos, pesquisas, iniciativas, tudo se transfere para depois do carnaval.
O Carnaval de 1924 foi animado por músicas como a que ouviremos nesse spot:
O casaco da mulata (samba/carnaval, 1924) - Careca - Intérpretes: Bahiano e Maria Marzulo

Carnaval dos Bons Velhos Tempos / Ano 1925

As canções se não aumentaram proporcionalmente em qualidade como subiram vertiginosamente em números, ainda assim agradam, e o povo as canta muita vez inconscientemente, sem pensar bem no sentido das palavras que profere, aos pulos e requebros. Se pensasse, talvez parasse espantado e surpreso. Mas o espanto e a surpresa seriam a negação total do carnaval, que é inconsciência e libertação.
O Carnaval de 1925 foi animado por músicas que ouviremos na seguinte ordem:
1 - Caneca de couro (maxixe/carnaval, 1925) - Sinhô - Intérprete: Fernando
2 - Dor de cabeça (maxixe/carnaval, 1925) - Sinhô - Interpretação: Fernando
3 - Está na hora (marcha/carnaval, 1925) - Caninha (José Luiz de Moraes - Intérprete(s) Silva, Americano Romeu / Jazz Band Sul

Carnaval dos Bons Velhos Tempos / Ano 1926

Houve tempo em que a animação do carnaval era medida pela presença alegre do povo na Avenida Rio Branco, como antes o fôra na Rua do Ouvidor. Era um carnaval centralizado. Hoje, o carnaval se espraia pelos subúrbios, pelos bairros, com suas festas de rua e de salão.
O Carnaval de 1926 foi animado por músicas que ouviremos na seguinte ordem:
1 - Café com leite (maxixe, 1926) - Freire Júnior - Intérprete: Fernando
2 - Eu vi Lili (fox/carnaval, 1926) - Freitinhas (José Francisco de Freitas) - Intérprete: Pedro Celestino
3 - Morro de Mangueira (samba, 1926) - Manoel Dias - Intérprete: Pedro Celestino
4 - Papagaio no poleiro (samba / carnaval, 1926) - J. B. da Silva (Sinhô) - Intérprete: Artur Castro
5 - Pinta, pinta melindrosa (marcha/carnaval, 1926) - Freire Júnior - Intérprete: Francisco Alves
6 - Zizinha (marcha / carnaval, 1926) - José Francisco de Freitas - Intérprete: Fernando

Carnaval dos Bons Velhos Tempos / Ano 1927

Há bem mais de cinqüenta anos se fala na decadência do carnaval carioca. E o carnaval continua, variando de aspectos, mudando roupagens, mas com a mesma animação que o fez famoso em todo o mundo.
O Carnaval de 1927 foi animado por músicas que ouviremos na seguinte ordem:
1 - Braço de cera (samba/carnaval, 1927) - Nestor Brandão - Intérprete: Frederico Rocha
2 - Dondoca (marcha/carnaval, 1927) - José Francisco de Freitas (Freitinhas) - Intérprete: J Júnior Gobes e Zaíra de Oliveira

Carnaval dos Bons Velhos Tempos / Ano 1928

Poucas festas populares no mundo terão maior receptividade, adesão mais entusiástica e decidida de todas as classes. A população carioca adere ao carnaval indistinta e definitivamente. Do mais humilde operário ao banqueiro, do pequeno funcionário ao capitalista, da empregada doméstica ao modelo elegante, da enfermeira ao cirurgião, do marinheiro ao plutocrata. O carnaval toca a todos. E como a morte, bitola tudo. É o grande nivelador.
O Carnaval de 1928 foi animado por músicas que ouviremos na seguinte ordem:
1 - A malandragem (samba/carnaval, 1928) - Alcebíades Barcelos e Francisco Alves - Interpretação: Francisco Alves
2 - Ai, eu queria (samba/carnaval, 1928) - Pixinguinha e Augusto Amaral - Interpretação: Francisco Alves
3 - Caridade (samba/carnaval, 1928) - Sebastião Santos Neves e Anísio Mota - Interpretação: Francisco Alves
4 - Eu fui no mato, crioula (marcha/carnaval, 1928) - J. Gomes Júnior - Intérprete: Francisco Alves

Carnaval dos Bons Velhos Tempos / Ano 1929

O Carnaval carioca tem resistido a todas as transformações do mundo com reflexos na cidade, onde é incontestavelmente o máximo acontecimento. Sujeita à evolução natural, a grande festa popular do Brasil se transmuda, perdendo aspectos e características sem diminuição do seu traço principal – a alegria.
O Carnaval de 1929 foi animado por músicas que ouviremos na seguinte ordem:
1 - Dorinha, meu amor (samba/carnaval, 1929) – Freitinhas
2 - É sim senhor (samba/carnaval, 1929) - Eduardo Souto - Intérprete: Francisco Alves
3 - Seu Doutor (marcha/carnaval, 1929) - Eduardo Souto - Intérprete: Francisco Alves
4 - Sou da fuzarca (marcha/carnaval, 1929) - Vantuil de Carvalho - Intérprete: Benício Barbosa
5 - Vadiagem (samba/carnaval, 1929) – Francisco Alves – Intérprete: Mário Reis

Carnaval dos Bons Velhos Tempos / Ano 1930

Ouviremos algumas marchinhas do Carnaval de 1930 / Pela ordem:
1 - Dá Nela (marcha/carnaval, 1930) - Ary Barroso - Interpretação: Francisco Alves
2 - Dona antonha (marcha/carnaval, 1930) – Intérpretes - Bando de Tangarás / Vocal: João de Barro / Compositor - João de Barro
3 - Eu sou do amor (samba/carnaval, 1930) - Ary Barroso - Intérprete: Januário de Oliveira
4 - Iaiá, Ioiô (marcha/carnaval, 1930) - Josué de Barros - Intérprete: Carmen Miranda
5 - Na Pavuna (samba/carnaval - 1930) - Almirante e Homero Dornellas - Intérpretes: Almirante e Bando de Tangarás
6 - Ta-hi (Pra Você Gostar de Mim) - (marcha/carnaval, 1930) - Joubert de Carvalho - Intérprete: Carmen Miranda
7 - Quebra, quebra gabiroba (marcha/carnaval, 1930) - Plínio Brito - Intérprete: Januário de Oliveira

domingo, 8 de janeiro de 2012

Dicas e Fatos do Samba / Zédi


José Dias
6/4/1936 Mogi Mirim, SP

Cantor. Compositor.
Foi criado em São Paulo, na capital.
Estudou até a segunda série do ginasial.
Fez cursos de desenho e torneiro mecânico no Liceu de Artes e Ofícios.
Trabalhou como office-boy, engraxate e servente de pedreiro.
Pertenceu à ala dos compositores de diversas escolas, tanto do Rio de Janeiro (Salgueiro), quanto de São (...)
Apareceu no cenário musical em 1963 com a música "Mil desejos", classificada em segundo lugar no "Festival de Música Infantil", da TV Excelsior.
Em 1965, Hebe Camargo gravou, de sua autoria em parceria com Luiz Vieira, "Escola da vida".
No ano de 1966, com "Catira", composição de sua autoria, foi o vencedor do "Primeiro Festival de Música Sertaneja", (...)

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

De volta no tempo / Sidney Magal


Cantor. Em 1998, mudou-se para Salvador, na Bahia.
Um dos ícones do cancioneiro popular, chamado por alguns de brega, tornou-se sucesso nacional, interpretando com voz e performances corporais canções que se tornaram verdadeiros clássicos de nossa música. Sempre cantando sem deixar seu lado ator, iniciou a carreira em 1976, quando foi levado pelo ex-cantor e produtor Roberto Livi para a Polydor, onde permaneceu até 1985. Foi justamente nesse (...)

Seguidores

Ouça grátis as 100 maiores músicas do Jazz

Ouça grátis as 100 maiores músicas do Jazz
Clique na imagem

22 de Novembro é dia de Santa Cecília...

Padroeira dos músicos, por isso hoje também é comemorado o dia do músico. O músico pode ser arranjador, intérprete, regente e compositor. Há quem diga que os músicos devem ter talento nato para isso, mas existem cursos superiores na área e pessoas que estudam música a vida toda.
O músico pode trabalhar com música popular ou erudita, em atividades culturais e recreativas, em pesquisa e desenvolvimento, na edição, impressão e reprodução de gravações. A grande maioria dos profissionais trabalha por contra própria, mas existem os que trabalham no ensino e os que são vinculados a corpos musicais estaduais ou municipais.
A santa dos músicos
Santa Cecília viveu em Roma, no século III, e participava diariamente da missa celebrada pelo papa Urbano, nas catacumbas da via Ápia. Ela decidiu viver casta, mas seu pai obrigou-a a casar com Valeriano. Ela contou ao seu marido sua condição de virgem consagrada a Deus e conseguiu convence-lo. Segundo a tradição, Cecília teria cantado para ele a beleza da castidade e ele acabou decidindo respeitar o voto da esposa. Além disso, Valeriano converteu-se ao catolicismo.

Mito grego
Na época dos gregos, dizia-se que depois da morte dos Titãs, filhos de Urano, os deuses do Olimpo pediram que Zeus criasse divindades capazes de cantar as vitórias dos deuses do Olimpo. Então, Zeus se deitou com Mnemosina, a deusa da memória, durante nove noites consecutivas. Nasceram dessas noites as nove Musas. Dessas nove, a musa da música era Euterpe, que fazia parte do cortejo de Apolo, deus da Música.
Fonte: UFGNet

Rádio MEC AM

CONTOS NO RÁDIO